Tecnologia do Blogger.

traição



Mais um fim-de-semana sem sentido passou. Amanhã encarar a aula porre de um professor que eu odeio e que tem demonstrado me odiar também. Não tenho mais estágio, o evento já passou e a diretora decidiu dispensar os estagiários... Briguei mesmo com a ex, nunca tínhamos brigado antes, nem quando namoramos, mas falamos palavras rancorosas e não houve beijos nem despedidas (cheias de saudades de minha parte ou somente formalidade da dela), joguei o celular longe, sem entender porque eu tinha ligado. Coincidência ter sido exatamente no dia que fazia um ano que tínhamos conversado pela primeira vez, mas não foi sobre ela que eu vim falar.

Outra vez festa ontem, a fantasia. Eu estava, modéstia a parte, linda. Vestido preto pouco acima do joelho, não estava vulgar, tinha asas pretas, cabelo de lado, batom super vermelho, estava sexy, eu gostei. Amigo irritado por conta do nosso atraso, fila, boate lotada (de homens), as poucas mulheres que tinham... bem...

No começo eu me diverti, bebi uma caipirinha, dancei (mesmo com as limitações impostas pelas asas), alguns caras que passavam por mim elogiavam minhas asas, meu vestido, um deles passou e me deu um beijo no rosto e eu nem o conhecia. A garota da tatuagem na perna que eu vi um dia numa de minhas aulas (ela nunca mais apareceu), chegou, estava normal (não fantasiada), entrou com umas amigas. Logo depois saiu, entrou de novo. Meu amigo e eu saímos, eu fui fumar, enquanto caminhávamos até a praça em frente à boate, ela saiu de novo, passou por mim, nos encaramos um pouco. (eu a acho simplesmente linda, mas o problema é que ela também se acha, uma amiga minha já me advertiu a respeito, mesmo assim não posso negar que algo nela atrai meu olhar).

Entramos de novo, dançamos mais, bebi mais, fumei mais, eu já estava alta, meu cabelo desarrumado, o corpo suado, mas estava legal, até meu amigo me decepcionar. Tínhamos conversado à tarde, enquanto confeccionávamos nossas fantasias, a respeito disso. Falei que ele nunca tinha me decepcionado e ele disse que eu também nunca o fizera. Depois de um tempo, o calor forte e a bebida me fizeram ter um pequeno mal estar, então sai para tomar ar e quando voltei ele estava com um cara. (tá até ai tudo bem, ele é gay e estava ficando com um cara, ok? Não! Ele tem namorado, é traição). Ai lá vem as explicações:


  • Necessidade ( Se você namora, tem alguém para satisfazê-las).
  • Momento (Magoar alguém, enganar, por causa de um simples momento?)
  • Quem está na chuva é pra se molhar (isso quer dizer que obrigatoriamente se você sair sozinho para um lugar que tenha outros seres humanos, você trairá?)
Motivos idiotas e sem base. Por que as pessoas não podem simplesmente ser fiéis? Qual o problema delas? Não entendo como não podem estar ali, beijando outra boca, abraçando outro corpo, que vai acabar em alguns minutos. Como podem não se sentir culpados ao encontrar @ namorad@ e saber que traiu. E se se arrepende alguma vez continuar fazendo, cometendo o mesmo erro.

Até mesmo me culpo, eu já trai, para alguns o que eu fiz não foi nada, mas para mim foi como uma facada na minha namorada, foi uma facada para mim. Logo no meu primeiro namoro, a primeira vez que me embebedei sem ela e estava com amigos que não sabiam que eu era lésbica (acabei ficando com um garoto - vomitei nele em seguida), isso foi uma vez, eu mesma contei para ela, e ela acabou o namoro, não foi nem pelo fato, foi por eu ter contado (disse que era uma coisa tão sem importância). Para mim não, teve muita importância o que eu fiz, até hoje me arrependo (não por ter feito com que terminasse o namoro, mas por não poder dizer que nunca trai).

Desde então, eu voltei o namoro com a "K", ela foi passar o carnaval em outra cidade e tenho certeza que fez o que quis e o que não quis, não sei se para se sentir vingada ou não, sei que até hoje não sei o que aconteceu e não perguntei esperando ela me contar. Namorei a "L" que morava em outra cidade, e eu continuei saindo com meus amigos da mesma forma, enquanto ela da primeira vez que saiu sem mim me contou que quase ficou (pelo menos ela contou, mas penso que esse quase ficou, não ficou só no quase).

O que quero dizer com tudo isso é que traição dói, dói para quem é traído e no meu caso para quem trai, mas o ser humano é um animal que evolui, caramba!!!! A gente erra e aprende com os erros, eu errei.... e desde então não cometi o mesmo erro novamente (claro que cometi erros novos), mas errar duas vezes é burrice...

O problema é que essa prática é tão comum que muitos acham normal (talvez apenas eu ache abominável), não acham um erro e não tentam mudar... Por isso parei de confiar nas pessoas. Porque todos traem...

3 comentários:

Geisa 9 de novembro de 2009 12:03  

Olá!
Encontrei o seu blog através do Leskut e, já no primeiro post, pude perceber o quanto pensamos super parecido. Fiquei curiosa pra ver se tinha sido só nesse e acabei lendo todos os posts de ontem pra hoje... rs
Concluí que realmente pensamos muito parecido e não acredito que estejamos erradas quanto aos nossos valores.
Seria muito bom poder me tornar sua amiga. Se também quiser ser minha amiga, é só me procurar lá no leskut, ok?
Beijos!

Amy Dee 10 de novembro de 2009 23:00  

*Geisa

Pode me add, já que vc me encontrou, eu te procurei mas tem muitas meninas com o mesmo nome :/

*Flor

Brigada!

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário, volte sempre =D

  © NOME DO SEU BLOG

Design by Emporium Digital